Ferramentas de Utilizador

Ferramentas de Site


Barra Lateral

for Newsmasters
Home
Configuration Files
Contacts
Administração
Contactos
Ferramentas
Associação
Estatutos
wiki:ajuda:sobre_as_net_news

Serviço de Net News


Qual o seu nome

O serviço de Net News é mais conhecido como Usenet News, ou simplesmente Usenet, uma abreviatura de Unix Users Network, que basicamente era uma rede formada por computadores com sistema operativo Unix em que a informação era trocada via UUCP (Unix-to-Unix Copy Program) e sobre a qual nasceu um serviço chamado News, que pretendia reduzir os tempos de download das mailing lists. Em vez de os subscritores terem que receber todas as mensagens enviadas pelos demais utilizadores, mesmo aquelas que não lhes interessava, o serviço de News permitiu que as mensagens passassem a ser enviadas para um servidor central ao qual os utilizadores se ligavam e podiam descarregar apenas as mensagens que efectivamente lhes interessava.

Sendo inicialmente conhecido como Usenet pelo facto de ter surgido numa rede de computadores com sistema operativo Unix, o serviço de News passou mais tarde, com o surgimento da Internet, a ser conhecido como Internet News. No entanto, como a Internet é apenas um meio de transporte e o serviço pode funcionar noutras redes, o termo mais adequado para designar o serviço é Network News, ou simplesmente Net News.


Como funciona?

O serviço de Net News é uma forma de comunicação por eMail em que as mensagens, em vez de serem enviadas para um só destinatário ou para um conjunto seleccionado de destinatários, são distribuídas por vários computadores e por vários locais diferentes, na maioria dos casos pelo mundo inteiro, sendo que o autor do artigo não tem qualquer controlo sobre quem o irá ler. Na prática, um artigo de News é publicado e distribuído de forma semelhante a um jornal, o que deu origem ao nome News (Notícias). Daí também o facto de as mensagens publicadas nas Net News serem chamadas “artigos”.

No entanto, apesar de um artigo de News ser estruturalmente semelhante a um eMail, na prática há pequenas diferenças que fazem com que não se possa enviar uma mensagem normal de correio electrónico para um servidor de News, sendo por isso necessário utilizar um programa especial chamado leitor de News, ou Newsreader. Mas sendo que a diferença entre os dois serviços é pequena, alguns programas de eMail também permitem funcionar como leitor de News.

A maior diferença entre um artigo de News e uma mensagem de eMail é a indicação do destinatário. No caso dos eMails, existe um campo “Para” ou “To” que se preenche com o(s) endereço(s) do(s) destinatário(s), mas num artigo de News esse campo não existe. Em vez disso, existe um campo chamado “Newsgroups”, que tem uma finalidade semelhante, mas que em vez de endereços de eMail aceita uma lista com os nomes dos grupos de discussão (Newsgroups) onde o artigo deve ser publicado.

Outra diferença, inerente à anterior, é que quando se responde a um artigo de News responde-se para todo o grupo de discussão, embora muitos programas leitores de News permitam que se responda apenas ao autor do artigo, mas nesse caso a resposta segue por eMail normal para a caixa de correio do autor, em vez de para o Newsgroup.


O que são Newsgroups?

Os Newsgroups são uma divisão lógica da informação que circula numa rede de Net News, pois não faria sentido misturar artigos sobre culinária com artigos sobre geologia, por exemplo. Essa divisão lógica é feita numa estrutura hierárquica, tipo árvore, sendo que a leitura dessa árvore é feita a partir do topo. Um exemplo é o grupo news.admin.announce, que é composto por três níveis hierárquicos, separados por pontos, sendo que no topo da hierarquia está o grupo news, seguindo-se o admin, e finalmente o announce. Este caminho, seguido a partir do topo da hierarquia até um grupo específico, constitui o nome do próprio grupo, no caso o news.admin.announce.

No entanto, não existe um grupo de topo que seja comum a todos os grupos de News existentes, o que faz com que haja várias hierarquias diferentes. Entre essas várias hierarquias estão algumas específicas de determinado país ou idioma, que fazem parte das chamadas hierarquias regionais. Entre essas está a hierarquia pt, junto com outras como a es (Espanha), fr (França), it (Itália), be (Bélgica), de (Alemanha), etc.. Como é bom de ver, o nome das hierarquias corresponde ao nome do grupo no topo das mesmas, o que significa que o grupo news.admin.announce pertence a uma hierarquia chamada news.

A divisão lógica dos artigos por Newsgroups permite aos utilizadores escolher os temas que lhes interessam, criando assim grupos de discussão com outros participantes interessados no mesmo tema.


Estrutura da Rede de News

A rede de News baseia-se em milhares de servidores espalhados um pouco por todo o mundo, aos quais os respectivos utilizadores se ligam para ler os artigos publicados e para publicar os seus próprios artigos e/ou respostas a artigos publicados por outros utilizadores.

Por sua vez, cada servidor de News está ligado a um conjunto de outros servidores de News, os quais trocam entre si os artigos colocados localmente pelos respectivos utilizadores. Estes processos de troca de artigos entre servidores chamam-se News Feeds, ou simplesmente Feeds. Os servidores com que um determinado servidor troca artigos são os seus Peers.

Quando um utilizador publica um artigo no seu servidor local, a troca de feeds entre servidores fará com que o artigo seja propagado por toda a rede, criando uma cópia do mesmo em cada servidor por onde passa.

1 2 3   7 8 9
 \|/     \|/
  A ----- C
  |
  B
 /|\
4 5 6

No exemplo acima, existem três servidores (A, B e C), cada um deles com três utilizadores (respectivamente 1 a 3, 4 a 6 e 7 a 9). O servidor A tem dois peers (B e C), sendo que os restantes servidores têm um só peer (o servidor A).

Se o utilizador 5 colocar um artigo no seu servidor (no caso, o servidor B), o artigo fica imediatamente disponível para os utilizadores 4 e 6, pois estão ligados ao mesmo servidor. No entanto, os utilizadores 1 a 3 e 7 a 9 ainda não podem ver o artigo, uma vez que ele ainda não existe nos servidores A e C.

Quando o servidor B fizer um feed aos seus peers (que no caso é apenas o servidor A), uma cópia do artigo publicado pelo utilizador 5 no servidor B passará a existir no servidor A, ficando assim o artigo disponível também para os utilizadores 1, 2 e 3. Mas, sendo que o artigo ainda não existe no servidor C, os utilizadores 7 a 9 continuam a não o ver.

Em chegada a vez do servidor A fazer um feed aos seus peers (B e C), uma cópia do artigo do utilizador 5 passa também a existir no servidor C e acessível aos utilizadores 7, 8 e 9. Obviamente que o servidor A não envia uma cópia ao servidor B, pois sabe que foi de lá que veio o artigo (o caminho que um artigo percorre na rede fica registado no próprio artigo).

No entanto, nem todos os servidores de News disponibilizam todos os Newsgroups que existem, e nem mesmo todas as hierarquias. Isto pode criar dificuldades de propagação dos artigos, já que se tiverem sido publicados num determinado grupo e tiverem que passar por um servidor que não o disponibiliza, esse servidor irá recusar o artigo e consequentemente não o passará para os seus peers.

Por exemplo, se os servidores B e C disponibilizarem o grupo pt.internet.usenet mas o servidor A não o disponibilizar, um artigo publicado pelo utilizador 7 no pt.internet.usenet do servidor C não será propagado para o servidor A (que não disponibiliza o grupo) nem, consequentemente, para o servidor B, apesar deste último também disponibilizar o pt.internet.usenet. Isto cria o que se chamam “ilhas”, visto que os utilizadores 4, 5, e 6 ficam a trocar artigos apenas entre si, o mesmo acontecendo com os utilizadores 7, 8 e 9. No entanto, são ilhas de grupo, visto que artigos publicados em grupos que existam nos três servidores serão propagados normalmente.

Mas para um servidor ter peers necessita primeiro de chegar a um acordo com outros servidores para troca de feeds. Esses acordos, chamados acordos de peering, estão sujeitos ao cumprimento de algumas regras, que se forem quebradas podem conduzir ao cancelamento do acordo, naquilo a que se chama um de-peer. Voltando ao nosso exemplo, se o acordo de peering entre os servidores A e B for cancelado, então o servidor B fica numa ilha de rede, que se distingue das ilhas de grupo pelo facto de que nenhum artigo publicado no servidor B passará para o resto da rede, independentemente de qual o grupo a que o artigo se destina. E em não havendo troca de feeds entre o servidor B e os restantes, também os artigos publicados nos servidores A e C nunca chegam ao servidor B.


O mito da liberdade nos Newsgroups

Muitos pensam que os Newsgroups são fóruns de discussão completamente livres, onde se pode falar de tudo sem restrições. Se em comparação com outros tipos de fóruns de discussão existentes na internet isso pode parecer verdade, na realidade não o é.

Como foi dito anteriormente, a rede de News baseia-se em milhares de servidores espalhados pelo mundo. Ora, sendo que cada um desses servidores pode escolher quais os grupos que disponibiliza e quais os grupos que não disponibiliza, lá se vai a liberdade nas News. Mas mesmo nos grupos disponibilizados, há regras a cumprir, sob pena de os artigos serem rejeitados. E sendo que não existe uma política de rejeição/aceitação que seja comum a todos os servidores, na prática cada um define as suas próprias regras, embora o façam de forma mais ou menos equilibrada para poder estabelecer e manter acordos de peering com outros servidores.

Entre as várias razões que podem levar um servidor de News a rejeitar um artigo estão:

  • O tamanho total do artigo exceder um certo limite (que varia conforme o servidor);
  • O artigo ter conteúdo binário (e.g. música, filmes ou fotografias) e ser destinado a grupos apenas de texto;
  • O artigo ter conteúdo em HTML e ser destinado a grupos só de texto simples;
  • A publicação de artigos iguais num curto espaço de tempo (SPAM);
  • O artigo ser destinado a um número excessivo de Newsgroups (Excessive Cross-Posting);
  • O envio de artigos iguais para vários Newsgroups (Excessive Multi-Posting, ou EMP);
  • O artigo ter pouco conteúdo novo em relação ao conteúdo do artigo a que responde (Excessive Quoting);
  • O artigo ter conteúdo suspeito de convidar à participação em esquemas Make-Money-Fast (MMF).

Acresce que cada grupo existente na rede de News é criado segundo uma carta de intenções, que define que assuntos podem ser discutidos naquele grupo em concreto e que assuntos lá não têm lugar. Um artigo que foque um tema que não conste, ou seja proibido, na carta de intenções do grupo a que é destinado diz-se que está Off-Topic, mas isso só em casos muito específicos e raros será razão para que o artigo seja rejeitado pelo próprio servidor de News. No entanto, se o grupo for moderado o artigo será enviado pelo servidor que o recebe para o moderador do grupo (por eMail), que poderá aprovar ou não o artigo.


Moderação nas News

A moderação num Newsgroup visa manter o conteúdo dos artigos publicados dentro de certos parâmetros. Se alguma filtragem pode eventualmente ser feita pelos próprios servidores de News, o facto é que cada servidor define a sua própria política, o que faz com que alguns deixem passar artigos que outros rejeitam.

Em grupos não moderados, se o servidor de News onde um artigo é colocado o aceitar será imediatamente disponibilizado nesse servidor e será incluído nos feeds seguintes, iniciando assim o processo de propagação. Mas em grupos moderados, se o servidor de News aceitar o artigo, envia-o por eMail para um moderador, que o avalia segundo os critérios do grupo e se o aprovar fará publicar num servidor de News para propagação.

A moderação pode ser feita por pessoas (moderação humana) ou por um ou mais programas informáticos (moderação automática). Na moderação automática, os programas apenas podem avaliar as mesmas características que os servidores de News (enunciadas no ponto anterior), mas como os critérios variam de servidor para servidor a única forma de os uniformizar para um determinado grupo de News é através da moderação.

A moderação humana é normalmente usada para avaliar a única coisa que os programas não conseguem avaliar: a conformidade de cada artigo com a carta de intenções do grupo. É a única situação em que é impossível usar moderação automática, pois pode haver artigos sobre temas que, não sendo específicamente sobre o assunto a que se destina o grupo, tenham interesse ser ali discutidos. É uma avaliação subjectiva, que como tal não pode ser feita por máquinas (ainda).

wiki/ajuda/sobre_as_net_news.txt · Esta página foi modificada pela última vez em: 2015/05/02 20:54 por enigma